Add any text here.

Você faz isto com você?

Há uma intensa transformação ocorrendo neste exato momento. É verdade que isto sempre ocorreu – a diferença é que atualmente está mais forte do que nunca. A necessidade que todos carregam em si de ficarem satisfeitos, saciados, pois a “fome” da imortalidade e a “sede” da sabedoria estão grandes.

As pessoas começam a descobrir verdadeiramente que não existem plenamente. Até aí, tudo bem. Este “problema” surge quando elas começam a perceber que há mais do que conseguem “ver”. Começam a entender que há mais do que uma vida material equivocada que mede sucesso através de posses, riquezas, status ou mesmo amigos ou popularidade em redes sociais. E a diferença agora é que esta percepção do sublime não foi dada por nenhum guru ou líder espiritual – está sendo percebida no íntimo de forma brutal, na qual a maioria ainda não consegue lidar com isto.

A sensibilidade espiritual está aumentando gradativamente e intensamente em todos.

Para alguns, que se prepararam ou buscam um desprendimento maior e vivem os dias atuais com grande esperança, verdade e sincronicidade. Para estas consciências, em comum uma série de buscas no tempo cronológico, através de literaturas, gurus, religiões, filosofias e onde quer que encontrassem respostas às suas questões íntimas. O gritar da alma acontece, mesmo nas mais singelas expressões da face, pois as máscaras ainda são mantidas, em seus últimos momentos de existência. Os próximos acontecimentos farão estas máscaras caírem, voltarem ao pó, e um novo despertar da consciência e o desvendar da realidade maior ocorrerão.

Para outros resta o previsível e enfadonho apego. Dão de ombros à sensibilidade íntima e ainda apostam na vida puramente material. O ceticismo é elevado como algo supra religioso e o hedonismo como algo dominante na vida, dotando o ego de uma superexposição além do bom senso. Eis que surgem as mais nefastas reverberações sociais nas artes, músicas, política e cultura em geral, revelando no coletivo o que o individual doentio e escondido de cada um apresenta. Nas redes sociais são todos felizes e justos. E por que seria a resultante sociedade algo tão infeliz e injusta?

Para quem tem olhos para ver, que veja o mundo a qual estamos inseridos.

O nome disto é este: sensibilidade. Algo que os humanos ainda não sabem lidar e que as inteligências sublimes apontam há tempos, atingindo um nível extremo atualmente, embora ainda pequeno se comparado ao futuro, ao que está vindo. Um novo sentido, o sexto, está sendo aberto a todos. E o que fazer com isto? Bloquear? Ignorar? É o que muitos tentam fazer, sem sucesso – e resulta a origem das atuais mazelas humanas, das doenças e das manifestações mais extremas que estamos vivendo nos dias atuais. O apego ao passado oferece a melancolia e a cegueira espiritual.

E você? Você faz isto com você?

Este é o perfil de quem acompanha nossos estudos e práticas da sensibilidade em nossa Escola de Médiuns. Sem problemas em usar o termo mediunidade, como nos referimos. Não é religioso, nem com gurus ou nenhum grande segredo inalcançável. É algo que chega aos que estão preparados para novos tempos de plenitude e verdadeira realização íntima.

Por Leandro Ortolan & Amigos, em 06/01/2017, em Chiang Mai, Tailândia.

2 thoughts on “Você faz isto com você?

  1. NanY... disse:

    Maravilhoso seu relato. Mente Nova em ação! Parabéns. O senhor tem idade de ser meu neto, não? Eu sei que você e outros por ai estão na perfeita razão, os grandes acontecimentos estão por aí, sem dúvidas, só não ver, que não quer mesmo enxergar. Você tem experiência de seus estudos, e eu tenho experiência da vida! Os anos já vividos as grandes mudanças, de um ano para o outro, os desafios que a vida nos oferece não para por ai. Apenas o tempo passa, a estrada é longa, o trem não para, eu apenas já estou cansada! Gratidão a ti meu amigo sucesso em sua caminhada. Hilda Acioli…

    1. Leandro Ortolan disse:

      Gratidão, Hilda. Você mora em nossos corações.

Comments are closed.