Add any text here.

Contundência 01| O que não te deixam saber

Não estou falando de religiões nem religiosos. Falo sobre a humanidade. E sobre mentiras. E sobre verdades. A grande transformação mundial que se vive e os distúrbios são compreensíveis se existe atenção ao que se esconde por trás de tudo o que se pensa saber. Nem tudo é real.

Ainda há muito a se explorar no conhecimento espiritual – nem arranhamos o que está oculto no conhecimento iniciático – a maior parte encoberta pelas ilusões e fantasias humanas geradas pelas dominações religiosas e políticas.

Quem possui coragem descobre mais, vive melhor e obtém mais da vida. Aos medrosos, restará ficar resistindo contra a evolução da alma e sofrendo com as grandes massas pela ignorância. A alma de uma parcela pequena da humanidade, de forma geral, não aceita mais esta realidade. Há correlação disto com o elevado quadro de depressões e suicídios, que abordaremos oportunamente. A pequena parcela é extremamente mais representativa atualmente, em números absolutos, em uma população de mais de 7 bilhões de humanos. Somos muitos e ainda cegos, na maioria, em uma multidão ainda maior de cegos. Ter um olho, nesta terra, pode não fazer de alguém um rei. Provavelmente fará mais um senhor de escravos.

O que um pensador espiritualista poderia contribuir nos tempos atuais? O que os ditos iniciados espiritualistas que se consideram escolhidos ou messias em batalha contra o bem e o mal fazem além de guiar cegos em suas próprias cegueiras rumo a batalhas imaginárias? O que ditos porta vozes das “verdades evangélicas” pregam que ser inteligentes nas obras de Jesus mais atrapalha que ajuda? Até quando muitos dos chamados médiuns ousarão a falar em nome de espíritos imaginários em seu próprio proveito? Por que ainda se dá mais importância à tecnicidade das religiões do que à essência da racionalidade e do amor?

Existem os sérios e comprometidos com a verdade, e estes são raros e esquecidos. Sim, estamos a falar disto no terceiro milênio. E com pesar ao identificar grandes massas ainda se afinizando com discursos mais paralisantes que evolutivos.

A pseudopigrafia, que consiste em textos antigos aos quais é atribuída falsa autoria é um fato atualmente aceito pelos grandes historiadores em muitos dos trechos da Bíblia – o mais popular livro da humanidade e a base evangélica de nossa civilização ocidental. E isto foi fruto de muitas traduções, revisões, ajustes e fins de poder religioso e político, muitas das vezes não separando um do outro. Também foi um meio de autopreservação em um período de caça às bruxas. A Igreja tem em seu histórico uma refinada arte de manipulação e deturpação dos ditos ensinamentos divinos em seu benefício. E não é só a religião católica, mas muitas outras, e também o espiritualismo que herdou dela este terrível legado. O fator humano é o grande componente de risco nos elevados interesses das religiões organizadas. Mas, o que você tem ver com isto?

Todo este histórico dos ensinamentos deturpados e tendenciosos são estudados nas turmas que temos na MenteNova, em nossos encontros semanais pela internet. O objetivo aqui não é acusar no vazio nenhuma religião ou mesmo religiosos. O objetivo é despertar, libertar e fazer com que você entenda que é uma vítima e algoz de si mesmo – sim, as duas. E isto pode ser modificado com o saber, com o conhecimento. E este saber propiciará uma vida mais próspera, mais prazerosa e onde saberá exatamente o seu lugar neste mundo, sem o vazio da alma que muitas das vezes traz a solidão em meio a multidões e as tristezas em meio a tantas situações que deveriam significar o contrário.

Você é vítima desta ilusão pois não foi inventada por você. Foi imposta desde sempre, e como o ser humano, diferente de outros animais, nasce prematuramente com toda a capacidade de adaptação ao meio ao qual foi gerado, sendo os primeiros anos de vida abertos a novas conexões neurais a formarem toda a forma de pensar, agir e também de comportamento. E por isso você e todos absorvem tudo em tenra infância. Isto não se muda, mas é preciso criar novas conexões, novas formas de se pensar. E o que recebeu é algo passivo de sua vontade. Eis o motivo de ser uma vítima.

Você é algoz de si pelo fato de, em algum momento, ter a sua sensibilidade aflorada – sim, digo sobre mediunidade, e nos primeiros passos partiu para o lugar comum de todos. Acreditou que a mediunidade, uma habilidade da alma presente em todos os humanos neste Planeta, sem exceção, ser um grande instrumento exclusivamente religioso. Grande bobagem. Mediunidade não é algo estritamente religiosa. E mais uma vez, alguns dos religiosos se dizem donos da mediunidade em detrimento ao abrir o conhecimento e explorar todas as possibilidades que esta nova habilidade oferta aos humanos – e oferecem a prisão na religião ao invés da liberdade evolutiva.

Em minhas pesquisas em diversos países verifiquei um grande grau de mediunidade, por exemplo, na Ásia, que residi, onde Alan Kardec é um grande desconhecido, por exemplo. Mas a mediunidade é um fato concreto, assim como a manipulação das energias, o que chamamos de magia. E por qual razão Deus ofertaria a mediunidade a uma ínfima parcela que possui em comum a prática de uma religião mediúnica – menos de 0,1% da humanidade? Estaria sendo Deus justo com os demais humanos? Pois é…

Aos que negam veementemente estas verdades não tenho interesse em debater. Não acredito que seja algo que resultará em algo bom para nenhuma das partes. Trabalho em cima de fatos e estudos, observações e trabalhos de campo. Sou um pesquisador da mediunidade e da espiritualidade há longo tempo – um observador crítico. Por anos vivi no meio ao qual decidi me distanciar, por ter visto o pior que lá existe, as fraudes e a manipulação que hoje multidões seguem e aplaudem. Aos que desejam continuar assim, que continuem, e não verão em mim um combatente destas ilusões insanas. Esta não é a minha missão, que consiste em trilhar um caminho estreito, duro, pedregoso mas iluminado, feliz e libertador.

Quero falar somente aos que não acreditam mais. Aos que só não viraram ateus num mundo de fanáticos e irracionais pois já sentiram em si um Deus de verdade, tão concreto que puderam se confortar em seus caminhos. Aos que não tem para onde ir e buscam e buscam cada vez mais. Se encontram em um lugar, logo se decepcionam. Buscam uma luz que lhes orientem. Prezam pelo conhecimento e não abrem mais a mão de pensarem por si mesmo. Desejam dias melhores e querem se entender mais, tomar novos rumos e serem felizes e prósperos. Serem livres, de verdade.

Se estes quiserem um líder, todavia, não o encontrarão em mim. Pois não sou nem quero ser líder de nada nem ninguém. E, ao contrário dos religiosos, peço que não me sigam. Ao máximo caminhem comigo enquanto eu for interessante aos seus propósitos. Mesmo que dure bastante tempo, não me sigam – não criem esta ilusão. Andaremos juntos, pois cada individualidade possui seu próprio caminho e este é um motivo mais que suficiente para que acredite que não tenha que seguir ninguém. Muitos servirão de companhia em sua caminhada, mas seu caminho é único e só você poderá trilhar. Seguir alguém é perder o bem mais precioso que possui – o tempo.

E, assim, nesta caminhada, eis a possibilidade de aprofundar estes estudos e participar desta comunidade que caminha junta, aprendendo algo mais e acessando um nível maior de conhecimento oculto. Eis o nosso propósito – de libertar pelo conhecimento. Daí viverá uma vida melhor e mais próspera.

E agora você pode acessar a esta nova possibilidade. Encontrará uma ou mais turmas e temas de seu interesse e necessidades. É preciso aprender a ver a luz, a viver na realidade.

Gratidão.

Leandro Ortolan.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE GRATUITAMENTE DO PRÓXIMO ENCONTRO AO VIVO PELA INTERNET